DISTORÇÕES, ÁCIDO E FLORES  
 



BRASIL, Centro-Oeste, CUIABA, BAU, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Livros, Música
border=0
border=0
06/08/2006 a 12/08/2006
25/06/2006 a 01/07/2006
04/06/2006 a 10/06/2006
30/04/2006 a 06/05/2006
05/03/2006 a 11/03/2006
15/01/2006 a 21/01/2006
14/08/2005 a 20/08/2005
10/07/2005 a 16/07/2005
03/07/2005 a 09/07/2005
12/06/2005 a 18/06/2005
24/04/2005 a 30/04/2005
10/04/2005 a 16/04/2005
13/02/2005 a 19/02/2005
14/11/2004 a 20/11/2004
07/11/2004 a 13/11/2004
24/10/2004 a 30/10/2004
17/10/2004 a 23/10/2004
border=0
Outros sites

 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 Sons Aleatórios
 Here, There And Everywhere
 Sandro Garcia


Votação
Dê uma nota para meu blog



border=0

O que é isto?
 


PATH OF THE ROSE (1998) - SADDAR BAZAAR

Este álbum da banda inglesa Saddar Bazaar mistura instrumentação de música indiana, guitarra acústica com timbres folk e rock alternativo. Percebe-se influências diversas, que vão de Spacemen 3 até Cocteau Twins, passando por Mazzy Star e Magic Carpet. Desde a primeira ("Madhya Laya") até a última faixa ("When The Waters Were Changed"), Path Of The Rose é uma incursão delirante ao mundo surrealista do rock psicodélico regado a cítaras indianas.



Escrito por William às 15h32
[   ] [ envie esta mensagem ]






NUGGETS: ORIGINAL ARTYFACTS FROM THE FIRST PSYCHEDELIC ERA, 1965-1969 (1998)

Esta é bíblia do rock de garagem, pegando a coisa de onde ela começou. A maioria das bandas aqui presentes é obscura mas, mesmo assim, elas são tão importantes para a História do Rock quanto bandas consagradas como Beatles e Rolling Stones. E foi justamente a British Invasion uma das responsáveis pelo surgimento das bandas americanas de garagem. É tudo muito bom, mas podemos destacar algumas coisas: Já de início, temos "I Had Too Much To Dream (Last Night)", dos Electric Prunes, clássico imortal da psicodelia de garagem; "Lies", dos Knickerbockers, é puro Beatles da primeira fase; As ultra-lisérgicas "Optical Sound", do Human Expression, e "I´m Five Years Ahead Of My Time", do Third Bardo, são viagens sonoras chapadíssimas; e "Jack Of Diamonds",do Daily Flash, e "Codine", dos Charlatans, são bons representantes do acid rock californiano. Nuggets é uma coletânea essencial não apenas para fãs de rock psicodélico, como também para todos os admiradores do verdadeiro rock´n´roll. É um mundo inteiro a ser explorado. 



Escrito por William às 15h25
[   ] [ envie esta mensagem ]






THE COSMIC UNION (2001) - LAMP OF THE UNIVERSE

Lamp Of The Universe é o projeto solo de Craig Williamson, o líder da banda neo-zelandesa de stoner rock Datura. As primeiras duas músicas do álbum, "Born In The Rays Of The Third Eye" e "Lotus Of A Thousand Petals" já indicam o tom de todo o disco, com a voz de Craig entoando mantras sob um turbilhão de riffs de cítaras e guitarras. "Give Yourself To Love" e "Her Cosmic Light" são duas viagens etéreas e torporizantes. "Tantra Asana" fecha o álbum com uma maravilhosa linha de cítara. Psicodelia contemporânea de primeira linha.



Escrito por William às 14h50
[   ] [ envie esta mensagem ]






NUGGETS II : ORIGINAL ARTYFACTS FROM THE BRITISH EMPIRE AND BEYOND, 1964-1969 (2001)

Depois da primeira caixa Nuggets, de 1998, dedicada somente às bandas norte-americanas, a gravadora Rhino lançou este Nuggets II, totalmente dedicado às bandas britânicas e do "resto do mundo". O Brasil marca presença apenas com "Bat Macumba", dos Mutantes, nesta caixa de 109 músicas distribuídas em quatro cds. Tão obrigatória quanto a primeira caixa, este Nuggets II traz preciosidades inimagináveis. Logo na abertura, temos a antológica banda inglesa Creation (que, anos mais tarde, seria homenageada por Alan McGee, que acabaria batizando a sua gravadora com o mesmo nome dessa maravilhosa banda), com "Making Time". "I Can Hear The Grass Grow", do The Move, é outro clássico presente nesta caixa (música maravilhosa que seria regravada pelos americanos Blues Magoos em seu terceiro disco). Afora os clássicos, esta caixa é um mundo de descobertas impressionantes. The Atlantics (da Austrália), The Smoke (da Nova Zelândia), Los Shakers (do Uruguai) e Thor´s Hammer (da Islândia) são apenas algumas dessas excelentes surpresas. Box-set absolutamente obrigatória.



Escrito por William às 14h40
[   ] [ envie esta mensagem ]






OUT THERE IN THE DARK (2001) - OUTRAGEOUS CHERRY

Quem diria que, em pleno século XXI, alguma banda soaria como as bandas de quase 40 anos atrás? Pois é, isso acontece com a banda americana Outrageous Cherry. Este álbum é um primor de psicodelia garagística sessentista do século passado neste novo século. As influências mais claras são as de Creation e Pink Floyd fase Barrett. É tudo muito bom, mas há que se destacar "Georgie Don´t You Know", "Corruptable", a faixa-título e a viagem "There´s No Escape From The Infinite".



Escrito por William às 14h23
[   ] [ envie esta mensagem ]






LOVE, PEACE & POETRY - LATIN AMERICAN PSYCHEDELIC MUSIC (2002)

A única falha desta coletânea maravilhosa é a omissão dos Mutantes. Mas é uma falha perdoável, à medida que vamos nos deliciando com as obras-primas presentes no álbum. É uma boa amostra do que as Américas Central e do Sul produziram em termos de psicodelia nos anos 60 e 70. Temos desde rock de garagem regado a fuzz guitar (Kaleidoscope), até psicodelia com influências de Byrds (Los Mac´s), passando por maluquices sonoras do tipo Frank Zappa (The St. Thomas Pepper Smelter). Mas o destaque vai mesmo para as duas antológicas bandas brasileiras presentes na coletânea: Som Imaginário, com "Super God", e Módulo 1000, com "Lem-Ed-Ecalg". Som Imaginário e Módulo 1000 foram dois dos baluartes do rock progressivo-psicodélico brasileiro da década de 70.



Escrito por William às 14h06
[   ] [ envie esta mensagem ]






LUCILE´S GROTESQUE DIARY OF PSYCHOTIC LOVE THROUGHOUT THE GALAXY (2003) - MANDRA GORA LIGHTSHOW SOCIETY

Depois de perpetrarem a obra-prima Beyond The Mushroam Gate, de 1999, os malucos do Mandra Gora Lightshow Society presentearam o mundo com este álbum maravilhoso, Lucile´s Grotesque Diary Of Psychotic Love Throughout The Galaxy. Repleto de teclados sessentistas e fuzz guitar, é um daqueles discos que se escuta do começo ao fim, sem pular nenhuma faixa. As covers de "Point Me At The Sky", do Pink Floyd, e "Song Of A Baker", dos Small Faces, são simplesmente matadoras! Álbum obrigatório em qualquer coleção psicodélica que se preze e belíssimo exemplo do que a psicodelia contemporânea anda produzindo.



Escrito por William às 11h29
[   ] [ envie esta mensagem ]






SONGS FROM THE ELECTRIC GREENWOOD (2004) - H. R. FUNK N´PUFF

Segundo suas próprias palavras, é assim que H. R. Funk N´Puff se define: "...Se Pink Floyd, Chemical Brothers, Donovan, Jefferson Airplane e Gary Numan tivessem um filhote, ele seria como H. R. Funk N´Puff." Realmente. Este álbum é uma mistura de psicodelia sixtie, folk, bluegrass e batidas eletrônicas. Destaques do álbum: "Synesthesia", com teclados que lembram Doors; "Holey Roller" tem um vocal meio Donovan conduzido por um banjo meio bluegrass e batidas dub; e "Inflated", faixa lisérgica maravilhosa, entre tantas outras do álbum. Este é um disco que nos dá a certeza de que o rock psicodélico ainda tem fôlego e muito o que dizer ao longo das próximas décadas.



Escrito por William às 11h22
[   ] [ envie esta mensagem ]






BEYOND THE KARMADELIC COLDNESS, THERE´S A LOVEDELIC WARMTH (2004) – OCTOPUS SYNG

 

 

Octopus Syng é uma banda-de-um-homem-só vinda da Finlândia. O nome do cara é Jaire. O som tem por base o folk acústico psicodélico dos anos 60 mas percebe-se, misturado a isso, elementos de garagem, raga e acid rock. Outra influência clara é a de Syd Barrett. A primeira faixa (“We Could Be Everywhere”) e a última (“Varanasi Rock´n´roll All Night Long”) são exemplos clássicos de psicodelia com toques orientais, conduzidas por linhas melódicas chapadíssimas de cítara. “It´s So Nice To Feel High In The Summertime” parece ter sido composta durante o Verão do Amor, na Califórnia; “Intuition Waltz” é puro Syd Barrett fase Madcap Laughs; “Life Of Nature remete às viagens místicas e sombrias do Pink Floyd do tipo “Set The Controls For The Heart Of The Sun”; “Soft Velvet Dreams” é pura garagem, cheia de fuzz; “Chinese Garden” é um delicado folk acústico;  “Frail Elephant”  evoca  novamente Barrett; “Magical Moonlight and Mystic Girl” é um belo blues com efeito de eco nos vocais; “Spring”, uma bela balada ao piano, e “All The Woods Of My Childhood” traz uma bizarrice guitarr´stica que faz lembrar as experimentações de Captain Beefheart. Ao lado de bandas como Holy River Family Band, On Trial, Smell Of Incense, Dipsomaniacs e The Spacious Mins, Octopus Syng é uma das melhores bandas psicodélicas já surgidas na fria Escandinávia.



Escrito por William às 11h19
[   ] [ envie esta mensagem ]






ELECTRIC PSYCHEDELIC SITAR HEADSWIRLERS VOLUME 6

Série absolutamente indispensável consagrada à psicodelia regada à cítara. Traz clássicos absolutos do gênero, como "Bracelets", dos Pretty Things, "Turn On, Tune In", de Timothy Leary, "Black Butter", do Strawberry Alarm Clock, Shoemaker Of Leatherware Square", dos Lemon Pipers, "Father Time", do Magic Carpet, "Tomorrow Never Knows", do The Mirage, "The Light Of Love", do Humble Pie e "Norwegian Wood", dos Folkswingers, entre dezenas de outras pepitas. Aqui eu destaco o sexto volume dessa série de nove cds que, entre outras viagens sonoras, traz uma versão ligadíssima de "Within You Without You", a cargo do Violeta de Outono.



Escrito por William às 21h27
[   ] [ envie esta mensagem ]






[ ver mensagens anteriores ]
border=0