DISTORÇÕES, ÁCIDO E FLORES  
 



BRASIL, Centro-Oeste, CUIABA, BAU, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Livros, Música
border=0
border=0
06/08/2006 a 12/08/2006
25/06/2006 a 01/07/2006
04/06/2006 a 10/06/2006
30/04/2006 a 06/05/2006
05/03/2006 a 11/03/2006
15/01/2006 a 21/01/2006
14/08/2005 a 20/08/2005
10/07/2005 a 16/07/2005
03/07/2005 a 09/07/2005
12/06/2005 a 18/06/2005
24/04/2005 a 30/04/2005
10/04/2005 a 16/04/2005
13/02/2005 a 19/02/2005
14/11/2004 a 20/11/2004
07/11/2004 a 13/11/2004
24/10/2004 a 30/10/2004
17/10/2004 a 23/10/2004
border=0
Outros sites

 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 Sons Aleatórios
 Here, There And Everywhere
 Sandro Garcia


Votação
Dê uma nota para meu blog



border=0

O que é isto?
 


PARALLELOGRAMS (1970) - LINDA PERHACS

Com sua doce voz angelical, a cantora Linda Perhacs detila neste álbum uma fila de onze folks acústicos que capturam o despertar psicodélico desta jovem artista. Onírico, envolvente e delirante são adjetivos que definem bem este álbum.



Escrito por William às 12h28
[   ] [ envie esta mensagem ]






THE MADCAP LAUGHS (1970) - SYD BARRETT

Obra-prima de um cérebro em desarranjo, The Madcap Laughs tem um lugar especial no coração & na coleção de todo amante de música psicodélica. Ajudado por seus amigos do Pink Floyd, Barrett pariu este grande álbum. "Terrapin", "Octopus", "Golden Hair", "Late Night" e "No Man´s Land" são gemas psicodélicas memoráveis. "Dark Globe", "She Took A Long Cold Look" e "Feel" são baladas emocionantes; e até quando soa meio fúnebre, como em "Long Gone", Barrett é genial. Mas é em "If It´s In You" que notamos o estrago que o excesso de LSD provocou no cérebro de Barrett. Aqui, ele gagueja e desafina, o que torna a canção ao mesmo tempo bela & trágica. O fundador do Pink Floyd pagou o preço por sua genialidade. Mas conquistou o seu lugar definitivo no templo dos deuses pagãos da psicodelia.



Escrito por William às 12h24
[   ] [ envie esta mensagem ]






PSYCHEDELIC DRUGSTORE (1970) - AGUATURBIA

Aguaturbia é uma das melhores bandas já surgidas no Chile. O estilo é o de um R´n´B psicodelizado com riffs que, ás vezes, lembram Jimi Hendrix. No álbum destacam-se as músicas "Somebody To Love", "Crimson & Clover" e "Aguaturbia". 



Escrito por William às 12h10
[   ] [ envie esta mensagem ]






IF I COULD ONLY REMEMBER MY NAME (1971) - DAVID CROSBY

Primeiro disco-solo de Crosby. Para ajudá-lo, chamou alguns músicos do Jefferson Airplane e do Grateful Dead, a cantora Joni MItchell e seus parceiros Neil Young e Graham Nash. O álbum é cheio de espiritualidade e melancolia, destacando-se a psicodelia guitarrística a cargo dos convidados ilustres. A sliding guitar de Neil Young vibra em "Laughing"; Jerry Garcia manda seus riffs no épico "Cowboy Movie"; e as múltiplas texturas de guitarras que constroem o clima do que, possivelmente, seja a melhor música do disco, "What Are Their Names". Disco essencial.



Escrito por William às 12h29
[   ] [ envie esta mensagem ]






FOLKSTONE PRISM (1971) - KENNELMUS

Imagine Ennio Morricone dirigindo uma jam-session movida a peiote com uma trilha sonora apresentando Electric Prunes, Captain Beefheart e Quicksilver Messenger Service criando bizarras colagens sonoras no meio do deserto do Arizona. Assim é este disco de acid-folk da banda Kennelmus. Obra-prima.



Escrito por William às 12h22
[   ] [ envie esta mensagem ]






MAGIC CARPET (1971) - MAGIC CARPET

Escorado na virtuosidade de Clem Alford e sua cítara, e nos vocais etéreos de Alisha Sufit, a banda Magic Carpet engendrou um dos melhores álbuns de folk psicodélico com influências indianas dos anos de 1970. Abrindo com a faixa-título e sua mística instrumentação, o disco já mostra todo o seu poder. As também instrumentais "Alan´s Christmas Card" e "Take Away Kesh" mostram misturas chapantes de tabla com guitarra acústica sob inspiradas linhas de cítara. Alisha mostra todo o seu talento vocal em faixas superbas como "The Phoenix", "Black Cat" e "Father Time". Enfim, um disco obrigatório para todos os fãs de psicodelia com influências indianas.



Escrito por William às 12h16
[   ] [ envie esta mensagem ]






NÃO FALE COM PAREDES (1971) - MÓDULO 1000

Ao lado do Som Imaginário, o Módulo 1000 é o pioneiro do rock progressivo-psicodélico brasileiro na década de 1970. Capitaneado por Luís Paulo Simas (que depois integraria o Vímana), o Módulo 1000 apareceu com esta obra-prima Não Fale Com Paredes em 1971. Além da faixa-título, os destaques do disco vão para "Turpe Est Sine Crine Caput" (cantada em latim), "Espelho" e "Lem-Ed-Êcalg".



Escrito por William às 12h06
[   ] [ envie esta mensagem ]






B-SIDES & RARITIES (1990) - STATUS QUO

Compilação mais do que obrigatória do Status Quo. O destaque vai para a recriação de  "(We Ain't Got) Nothing Yet", dos americanos Blues Magoos.



Escrito por William às 11h53
[   ] [ envie esta mensagem ]






[ ver mensagens anteriores ]
border=0